• Monica

A Importância do Coaching para a Vida

Para muitas pessoas, o vestibular pode ser um verdadeiro pesadelo. Horas exaustivas de estudo, cobranças externas e, sobretudo, internas, e a escolha da carreira se misturam com a alegria e com a nostalgia do encerramento de um ciclo muito importante. Para mim, nada disto foi diferente.

Estudei durante 13 anos em uma mesma escola, um lugar em que sempre me senti em casa. O Colégio Santo Inácio me proporcionou momentos inesquecíveis e me trouxe amizades pro resto da vida. Entretanto, a chegada do terceiro ano (e, consequentemente, a chegada do vestibular), conseguiu transformar o meu lugar favorito no mundo em um inferno.

Como boa parte de meus amigos, tive dúvidas na hora de escolher uma carreira. Aos quarenta e cinco do segundo tempo, mudei de ideia e resolvi prestar vestibular para Design, ao invés de Odontologia. Na época, foi um tiro absolutamente no escuro.

Passadas a ansiedade e a exaustão trazidas pelo vestibular, começava agora um novo medo em mim: o medo do desconhecido. O curso de Design era algo sobre o qual eu sabia quase nada e tive um enorme receio de não me identificar com a minha escolha. As primeiras semanas na PUC foram desafiadoras para alguém que estava há 13 anos seguindo uma mesma rotina, com os mesmos amigos de sempre. Levou um tempo para que eu estabelecesse novos laços e entendesse o novo ritmo.

Logo que o primeiro período terminou, já tive certeza de que minha escolha tinha sido bem sucedida. Estava encantada com o curso, com o mundo novo de pessoas e possibilidades que ele me abriu. E assim segui até ter meus primeiros contatos com o mercado de trabalho.

Fiz 4 cursos, dei 2 monitorias e estagiei em 4 empresas diferentes ao longo dos meus 5 anos de PUC. Naveguei por áreas, estilos e tamanhos de negócios diferentes na esperança de me encontrar em algum deles. Depois de muito me frustrar, entendi que era o momento de dar um pause e entender melhor quem eu era como profissional e para onde queria ir. Tinha convicção de que amava o Design, mas ainda não havia entendido como transferir essa paixão para o âmbito profissional.

Alguns meses depois de me formar, desempregada e desmotivada, resolvi fazer o Coaching. Estava empenhada em fazer daquela oportunidade um divisor de águas na minha vida. E assim foi.

O processo todo, de maneira muito leve, foi me levando ao autoconhecimento e me trouxe a segurança que eu precisava para dar o primeiro passo em direção à satisfação profissional. Minha coach soube me ouvir com ouvidos bem abertos, com olhos atentos e com o coração cheio de confiança no meu potencial. Ao longo das semanas, me foram apresentadas ferramentas, atividades e dinâmicas que me deixaram cada vez mais em contato comigo mesma.

Acho que o maior benefício que o Coaching me trouxe foi o autoconhecimento pessoal e profissional. Encontrei a paz e a segurança que me faltavam para confiar no meu próprio processo dentro do Design e fazer dele minha mais preciosa ferramenta em qualquer trabalho que faço, ou que vá fazer.


Mariana Castro

Designer

(21) 98883 0306




24 visualizações